Uma herdade secular

Os registos documentais mais antigos da Herdade de Pegos Claros, também conhecida como Sesmarias de Pegos Claros, datam de 1920. Ao longo de pelo menos um século, a herdade tem-se afirmado pela produção de vinhos com um perfil distintivo, deixando um legado longo que, desde 2010, tem vindo a ser recuperado e, sobretudo, desenvolvido para patamares superiores de qualidade e excelência.

Localizada no concelho de Palmela, uma parte do seu limite coincide com a separação dos concelhos de Palmela e Montijo. Beneficia de um clima mediterrânico com clara influência atlântica, característicos da Península de Setúbal, e é essencialmente constituída por solos arenosos, numa área total de 535 hectares, ocupados por montado de sobro, pinhal manso, área de regadio e vinha.

Procuramos fazer o melhor que o terreno e as vinhas naturalmente querem dar, preservando e desenvolvendo este património único, sem o desvirtuar. Temos presente a perpetuidade do terroir e a responsabilidade e privilégio de fazermos parte da história desta produção, que se pretende muito longa e que vá além da nossa presença e intervenção.

— José Gomes Aires

A Herdade de Pegos Claros possui certificação FSC para a gestão florestal, evidenciando o compromisso de uma gestão florestal ambientalmente adequada, socialmente benéfica e economicamente viável. Os sobreiros e os pinheiros-mansos compõem a mancha florestal, da qual é possível extrair cortiça de qualidade boa e colher pinha para pinhão em excelentes condições de rentabilidade e produtividade. A mancha de montado é relativamente jovem. Terá sido instalada nos anos 30 do séc. XX, em compasso regular. A mancha de pinheiro-manso tem sido alvo de sucessivas beneficiações e apresenta uma distribuição regular nas várias classes de idade. Este espaço florestal, com um enorme potencial futuro, tem vindo a ser gerido, desde 2010, pela TerraTeam, mercê de uma abordagem sustentável e atenta à valorização dos recursos naturais.

Pegos Claros destaca-se em particular pelas suas extraordinárias vinhas históricas, constituídas maioritariamente por vinhas centenárias de Castelão, um testemunho vivo de um dos mais apreciados territórios característicos da DOC: as areias de Palmela. Pondo em prática uma viticultura de intervenção mínima e uma enologia conservadora, obtemos vinhos autênticos, expressivos, diferenciados e muito característicos, que continuam a surpreender e cativar uma legião de apreciadores e seguidores, quer no mercado nacional, quer internacional.

Equipa

A especificidade das nossas vinhas e da nossa adega origina vinhos especiais,  mas tal só é possível graças a um conjunto de pessoas empenhadas, com laços fortes a esta terra. Vencendo dificuldades, a nossa produção na vinha estimula relações afectivas com todo o projecto. Trata-se, sem dúvida, de um trabalho de equipa dedicado, criativo, com uma forte proximidade humana à vinha e ao vinho, um trabalho no qual todos partilham uma profunda sensação de pertença.

É o caso de Paulo Santos, orgulhoso encarregado da herdade há mais de 20 anos, em conjunto com a sua família, cujas vidas diárias se centram no ritmo exigente da propriedade. Ou como José Gomes Aires, que abraçou a direcção da gestão da Herdade de Pegos Claros, com a qual se encantou em absoluto para restituir a sua antiga notoriedade e para traçar os seus novos horizontes. Ou ainda como Bernardo Cabral, enólogo há cerca de 20 anos, cujo trabalho técnico tem conseguido devolver à marca Pegos Claros o prestígio que merece.